domingo, 26 de dezembro de 2010

My fucking love.


Não venha querer entrar de novo na minha vida. Rasgando cada ponto de costura que dolorosamente costurei. Não venha com olhar mole, sorriso bobo, palavras doces...
Não venha querer me confundir, me corromper, me persuadir. Não queira se tornar especial de novo. Eu já estou te avisando, eu não tenho mais tempo pras suas inutilidades.
De todos os novos planos que eu fiz pra minha nova vida, você não aparece em nenhum deles. Minha vida não está aberta pra você. Meus pensamentos não estão aptos pra sua imagem. Meu coração não aceita mais a sua presença, portanto, vá embora antes que eu te expulse com meia dúzia de palavras que te machucariam pra sempre.
Eu renasci de novo, eu encontrei um novo horizonte, eu ando vendo luz no fim do túnel e essa luz não reflete de você. Afinal, o que é você, se não uma sombra?
Me corrói essa falsa repulsa, me destrói essas lágrimas, me aflige essa pouca raiva – eu queria ódio.
E por fim, acabo por ficar estressada. Porque eu sei que se tem raiva, tem sentimento.
Se tem sentimento, tem amor.
E se tem amor, eu tô fudida.

11 comentários:

  1. Muito bom
    escreve muito bem !

    to seguindo, se quiser siga o meu tbm !

    ResponderExcluir
  2. Caramba, gostei desse! *-*
    seguindo tbm.

    meu blog: liliannebrenes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Caramba... +2 Estou sem palavras, que ferocidade nas palavras, realmente elas foram fortes e verdadeiras. Adorei... Estou te seguindo, Thainara.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, de verdade! Belo blog.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom. Gostei do tom rude que segue o texto e principalmente do final:
    "Me corrói essa falsa repulsa, me destrói essas lágrimas, me aflige essa pouca raiva – eu queria ódio.
    E por fim, acabo por ficar estressada. Porque eu sei que se tem raiva, tem sentimento.
    Se tem sentimento, tem amor.
    E se tem amor, eu tô fudida. "

    ResponderExcluir
  6. E claro.. Obrigado por seguir o la sangre invisible!

    ResponderExcluir
  7. e se tem amor eu to fudida, hahaha adorei

    ResponderExcluir
  8. Gosto de gente que escreve sem medo de usar determinadas palavras; gosto de ler palavrões (fudida, no caso do teu texto) do modo como são falados, para que não percam o sentido.
    Você escreve sem receios, sem limitações. Isso é muito bom, me identifico completamente, tanto com a escrita em si como com o conteúdo deste texto.
    Adorei!

    ResponderExcluir
  9. Adorei ofinal do texto...conclusão drástica!
    É aquilo de que contrário de amor não é ódio, é indiferença! Porque se você sente ódio é porque liga para a pessoa...é complexo!
    Bem legal o seu blog...origada por nos achar chiques ;D

    contamos com sua visita sempre tá? voltaremos aqui ^^

    ResponderExcluir
  10. Cara, muito, muito bom. Belíssimo blog.

    ResponderExcluir