domingo, 19 de dezembro de 2010

L.o.v.e.

E mesmo que tudo um dia pare. Meus passos, o vento, minha respiração. Eu ainda estarei aqui a esperar. Agarrando-me ao último fio de vida que me restar. Eu vou estar aqui, esperando por você.
Ainda que todos riam de mim, caçoem, debochem. Eu vou tapar meus ouvidos, ouvir uma boa música e pensar em você. E se eterno for o desprezo, ainda assim eu vou estar aqui e eterna será a minha espera.
É estranho imaginar a solidão que vou estar, já que você insiste em não chegar. Ao atordoar-me, me acalmarei. A espera é grande e semelhante é a recompensa.
Eu vou estar aqui no inverno, verei as flores crescerem, aguentarei o forte calor e no outono verei as folhas caírem. Mas eu ainda vou estar aqui, sejam lá quantos natais se passem.
Eu não me revoltarei, não me iludirei e nem me apaixonarei por outro que tente se passar por ti. Eu te olhei bem nos olhos e gravei o seu interior. Eu não me enganarei.
Quando chegares, peço para que não faças barulho. Os ouvidos invejosos estão por toda parte e eu quero guardá-lo longe de toda a sujeira desse mundo.
Eu estou aqui, sentada na calçada da mais deserta avenida, vendo uns outros que te possuem passarem entrelaçados, ás vezes até chorando e me segurando pra não sofrer. Mas eu ainda estou aqui, forte apesar de tudo, confiante e com um largo sorriso, somente a te esperar.
Vem amor, vem me encontrar.

4 comentários:

  1. Lindo!
    Cada vez mais vejo você crescer aqui no blog, e sinto fazer valer cada momento que passei por aqui.
    Beijo, sumida.

    ResponderExcluir